wrapper

Notícias Gerais

RDI - CAMPANHA OUTUBRO ROSA - MAMOGRAFIA DIGITAL COM TOMOSSÍNVESE (MAMOGRAFIA 3D) PARA TODAS AS PACIENTES - SEM CUSTO ADICIONAL

Neste ano como no ano passado, todas as pacientes que vieram na RDI para fazer sua Mamografia estaremos realizando sem custo  adicional o exame de MAMOGRAFIA DIGITAL COM TOMOSSÍNTESE (Mamografia Digital 3D).

O QUE é A MAMOGRAFIA 3D?
Também conhecida como Mamografia 3D, a Tomossíntese mamária foi esenvolvida com a finalidade de mitigar os efeitos da sobreposição de tecido mamário denso na mamografia convencional 2D.

Diversos estudos têm demonstrado que seu uso está associado a um AUMENTO DE ATé 40% NA TAXA DE DETECçãO DO CâNCER DE MAMA e a uma redução significativa nas taxas de reconvocação e na necessidade de incidências mamográficas complementares.
A tomossíntese é o mais moderno tipo de mamografia digital, onde além das imagens habituais são adquiridas imagens em múltiplos ângulos, que são reconstruídas em cortes finos de alta resolução que podem ser estudadas individualmente ou em modo cine. Sua principal característica é reduzir significativamente a superposição dos tecidos.
Desta maneira, permite a análise de alterações sutis e diminui a chance de falsos positivos e negativos, contribuindo expressivamente para aumentar a possibilidade da detecção precoce do câncer de mama.
Publicações recentes mostram que a associação da tomossíntese à mamografia digital nos exames de rastreamento, resulta em uma taxa de detecção de câncer significativamente mais elevada e permite o diagnóstico de maior número de tumores invasivos, quando comparado  com o uso da mamografia digital isolada.
Para a FDA (Food and Drug Administration), agência que regula alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, o exame não tem contra indicações.
A tomossíntese não faz parte do rol de procedimentos da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Desta forma, não é coberta pelos planos de saúde.  Percebam portanto que estaremos fazendo algo inédito neste mês de Outubro onde todas terão acesso a esta extraordinária tecnologia sem gastar nada a mais.
Este método em Curitiba fica em torno de R$ 480,00 a R$ 750,00 reais - o que buscamos é divulgar o método neste mês de outubro e proporcionar que TODAS AS MULHERES tenham acesso a esta tecnologia.
Portanto, gostaria de convidá-los a participar e também divulgar em seus veículos de comunicação interna e externa a nossa campanha com preço mais que especial para o exame de MAMOGRAFIA DIGITAL COM TOMOSSíNTESE (MAMOGRAFIA DIGITAL 3D) no valor de R$ 80,00 (OITENTA REAIS) assim como valor especial também para Ultrassom das Mamas R$ 63,00 (Sessenta e três reais).

Leia mais

Trabalhador fica desprotegido na hora da demissão sem homologação no sindicato

Irregularidades na rescisão dos contratos representam maioria das ações trabalhistas, e devem crescer ainda mais

 

Trabalhador fica desprotegido na hora da demissão sem homologação no sindicato

Sem a fiscalização dos sindicatos no momento da rescisão dos contratos, trabalhadores ficam à mercê da boa vontade dos empregadores para ter seus direitos respeitados

 

Leia mais

Conquistas dos gráficos com a greve do 7 de fevereiro sob ataques

Direitos coletivos e a representação sindical (ícones do 7 de fevereiro) ameaçadas com as reformas do Temer em prol do setor patronal. O Dia do Gráfico (7 de fevereiro) de 2017 será diferente dos outros 93 anos.

 

Os 200 mil gráficos brasileiros comemoram o dia nacional da categoria nesta terça-feira (7). A data é celebrada há 94 anos no País. Remonta a maior e mais exitosa greve da classe com a capacidade de modificar os costumes e injustiças sociais no trabalho, praticadas pelos empresários e defendidas por governos com racionalidades ainda escravocratas. A luta obreira garantiu direitos coletivos, inclusive o de se ter sindicato. Por isso que existe até hoje Convenção Coletiva de Trabalho (conjunto de direitos) e sindicato da categoria para se organizar e garantir os direitos.

Um direito adquirido foi a redução da jornada de trabalho. Antes era bem  superior a 10 horas por dia. Porém, hoje, infelizmente, o empresariado e a determinação do novo governo federal e da maioria do Parlamento, com suas reformas previdenciárias e trabalhistas, querem restabelecer o retrocesso de quase 100 anos. Querem inclusive a jornada diária de 12 horas e um menor tempo para refeição e dificultar a aposentadoria e etc. Nem a cruel Ditadura Militar foi capaz disso. O cenário recoloca o gráfico de hoje no mesmo desafio já enfrentado no 7 de fevereiro do passado.

Tal data e todo seu legado reacende a luta de classe. Reconvoca todos ao necessário combate entre o trabalho (gráficos e demais profissionais) e o capital (representado hoje pelo presidente Temer e seus apoiadores dos setores empresariais e políticos). O capital inclusive já começou. Basta observar tantos ataques à classe trabalhadora em pouco tempo. São eles: reformas previdenciária e trabalhista, congelamento de gasto público por 20 anos, venda do pré-sal/Petrobras e aceno à privatização.   

O projeto político do governo central agora é só contrário ao trabalhador e favorável ao empresário. Cenário igual ao da época quando houve a histórica greve da classe que originou a comemoração do 7 de fevereiro. Ou seja, a classe trabalhadora atacada pela classe patronal e política. A força deles é ainda maior. A classe dominante conta com o poder maior da mídia para construir uma representação da realidade social de modo acrítico com valores conservador, consumista e individualista –  condição esta perfeita para amenizar os ânimos de quem perde (o trabalhador).

Será uma luta dura com os políticos no Congresso Nacional neste ano. Na pauta, a aprovação dessas reformas previdenciária e trabalhista. Se aprovadas, flexibilizarão direitos históricos, inclusive os direitos coletivos dos gráficos e a representação sindical (ícones do 7 de fevereiro). Isso ocorrerá porque permitirão, por exemplo, o patrão negociar os direitos e salários abaixo das convenções, através do negociado sobre legislado.

Portanto, o 7 de fevereiro deste ano será diferente dos outros 93 anos.  Neste, sindicalistas e trabalhadores já conscientes do atual processo precisam fazer a categoria entender do risco que corre; intensificar a luta e fazer o interesse dos trabalhadores chegar aos políticos e autoridades. “A comemoração do legado do 7 de fevereiro é sempre necessário para não esquecermos dos nossos heróis, mas a demanda atual é lutar para fazer com que se mantenha o legado (as conquistas)”, diz Leonardo Del Roy, presidente da Confederação Nacional dos Gráficos (Conatig).

A Conatig parabeniza todos os gráficos do Brasil por seu dia histórico (7 de Fevereiro) e conclama cada vez mais a todos a estarem vigilantes e mobilizados. A postura é necessária para enfrentar os desafios postos à categoria pelo governo Temer, deputados e senadores em conjunto com os empresários ao propor mudanças da legislação trabalhista. A reforma objetiva reduzir e retirar direitos. Dentre eles, o precioso de todos que é o direito constitucional do processo de negociação coletiva por meio das Convenções Coletivas de Trabalho. É preciso lutar contra a proposta de flexibilizar a lei, deixando o já legislado sobreposto ao negociado, e ainda contra a medida que visa permitir a terceirização total do trabalho. “A luta por nossos direitos e garantias deverá ser sempre contínua”, diz Del Roy, dando um salve ao 7 de Fevereiro (Dia Nacional dos Gráficos).

Fonte: CONATIG

 

Leia mais

13º SALÁRIO - Encerra hoje prazo para pagamento da 1ª parcela

Trabalhadores: fiquem atentos ao calendário de pagamento do 13ª SALÁRIO. Conforme prevê as leis: nº 4.090, de 13 de julho de 1962 e nº 4.749, de 12 de agosto de 1965, as empresas deverão efetuar o pagamento da 1ª PARCELA impreterivelmente até dia 30 de NOVEMBRO de 2016 e a 2ª parcela até dia 20 de DEZEMBRO de 2016.

Caso a empresa não cumpra com o determinado em lei e você não receba as parcelas dentro das datas supracitadas, denuncie ao Sindicato.

Leia mais

Links

    

 

 

Sobre

STIGPR - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Gráficas do Estado do Paraná

Rua Brasílio Itiberê, 3080 | Rebouças | Curitiba-PR | CEP 80250-160

Fone: (41) 3333-2528 | E-mail:

 

Áreas

  • SIGPR
  • SEDES
  • SERVIÇOS
  • COMUNICAÇÃO
  • SINDICAL
  • GUIAS
  • FALE CONOSCO

Documentos

Solicitação do pagamento da 1ª parcela parcela do ...
Não serão homologadas as rescisões de ...